terça-feira, 20 de janeiro de 2015

32- JOÃO BEBE-ÁGUA


ssl#q=joao+bebe+agua

João Nepomuceno Borges, conhecido como João Bebe-Água, nasceu em São Cristóvão, em 1823, sendo seu pai o capitão Francisco Borges da Cruz. Alguns afirmam que João Nepomuceno Borges nasceu em Itaporanga d´Ajuda. É fato inconteste que ele provem de uma família pequena e que tinha, apenas um irmão chamado Silvério de Costa Borges.
Não sabemos onde e com quem estudou mas é sobejamente conhecido  que ele sabiaer e escrever, e erceu cargos de representatividade em São Cristóvão, Laranjeiras e Santo Amaro das Brotas. Foi indicado para o cargo de Escrivão da Alfândega e Mesa de Rendas de Santo Amaro, em março de 1936, ano da Revolta que eclodiu naquela cidade. Com a Revolta, foi transferido para Laranjeiras, em janeiro de 1837, com o cargo de amanuense interino, sendo demito no mesmo ano. Segundo o historiador Sebrão Sobrinho, depois de ser demitido, João Nepomuceno recebeu um convite para ser Patrão-mor da Mesa de Rendas da Barra dos Coqueiros. Neste período residia em São Cristóvão, na  rua que atualmente leva o seu nome. Segundo a mesma fonte, em meados de 1847, “ele já estava envolvido com a política local, tinha idéias conservadoras e uma vida ativa na sociedade de São Cristóvão”. Tinha em sua própria casa uma bodega onde comerciava gêneros alimentícios e bebidas,
Trata-se, portanto, de uma pessoa razoavelmente inteligente  e capaz de exercer os cargos para os quais foi indicado.
Diz a lenda que ele arregimentou 400 homens em protesto contra a transferência da Capital para o povoado de Santo Antônio de Aracaju. Conta-se que publicou trabalhos no “Pasquim”, sob pseudônimo de “Nunes Machado” (líder da Revolução Praieira, ícone do partido liberal, assassinado à frente dos revoltosos do Recife, em 11 de dezembro de 1848).
Logo depois da transferência da capital, ele se rebelou, declarando bem alto e em bom som que jamais pisaria em Aracaju. Por isso guardou atrás da porta de sua casa os foguetes que soltaria quando São Cristóvão voltasse a ser  Capital.
João Bebe-Água era membro da Irmandade de Amparo dos Homens Pardos, cumpria todas as obrigações religiosas e freqüentava a igreja com regularidade. Ocupou todas as funções da Irmandade, foi sineiro, zelador, sacristão, tesoureiro, avalista, procurador e presidente da confraria.
Dizem os cronistas  que ele era de cor parda, baixa estatura, gordinho, cabelos “amealhados”. Seu traje  era uma jaqueta, usava um lenço de rapé e uma catarina onde guardava fumo torrado. O fumo e o aguardente eram seus companheiros inseparáveis. A mudança da capital o desgostou a tal ponto que ele  se entregou ao álcool.
Não sabemos exatamente como morreu João Bebe-Água. Afirma João Pires Wynne que faleceu em 1896. Para Pedro Machado, Bebe-Água morreu em data incerta, em sua casa, na ladeira de São Francisco, próxima ao Convento do mesmo nome.
Todos concordam que ele nunca botou os pés em Aracaju e morreu pobre e desacreditado, agarrado ao sonho de São Cristóvão voltar a ser Capital.
Manoel dos Passos de Oliveira Teles, autor da primeira biografia desta figura lendária, afirmou: “Cuspiu todos os seus desprezos sobre a cidade nova, protestou que seus pés não pisariam nunca as suas areias e de fato morreu sem ver Aracaju. João Bebe Água soube ser patriota de coração. Não foi um louco, não foi um mendigo, foi um resignado. Daí a minha admiração...”


3 comentários:

  1. Sou de Sorocaba, SP. Em 2015 participei da Corrida 24 km São Cristovão / Aracaju e percorri a rodovia que leva o nome de João Bebe Água. Fiquei curioso na época e agora pude conhecer um pouco mais da história desse personagem importante na cultura Sergipana. Obrigado por compartilhar.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Estive em São Cristóvão recentemente com a minha filha q estuda em Aracaju e meu marido.
    Matei minha curiosidade quando a Tatá uma artesã q nós recebeu gentilmente nos contou q ele realmente sonhou sempre coma possibilidade de São Cristóvão voltar a ser capital de Sergipe e q teria começado a beber muito qdo da morte de sua mulher.
    Nós falou q ele foi vereador na cidade.
    Realmente um patriota convicto...

    ResponderExcluir