sexta-feira, 29 de maio de 2015

67- FAMILIA ALENCAR


LEONEL DE ALENCAR REGO E FAMÍLIA

?gws_rd=ssl#q=familia+Alencar

A família Alencar tem raizes na Índia, Espanha e  Itália mas o ramo brasileiro tem origem em Alenquer, cidade mediaval do Condado Portugalense. O primeiro Alencar  chegou  no Brasil em meados do século XVII. Chamava-se Leonel, morador de São Martinho de Arrueira,  no arcebispado de Braga. Chegou em companhia de dois  irmãos, Alexandre e João Francisco. Depois de estabelecido,  voltou para Portugal e trouxe uma irmã de nome Maria, que se casou com Valério Coelho Rodrigues.
“Leonel de  Alencar  foi um desses homens, talhados para as árduas lutas dos árduos sertões. (1). Fundou as fazendas Várzea Grande e Caiçara, nas margens do rio Brígida, onde criou bois e vacas.  O rio Brígida  nasce no município de Exu, no sertão de Pernambuco e, deságua no São Francisco, depois de im percurso de 160 km.
A família Alencar se espalhou por todo o Brasil. Alguns membros desta clã são importantes. Como exemplos, citamos;  Bárbara Pereira de Alencar, Tristão Gonçalves de Alencar e José Martiniano de Alencar, heróis da Revolução Pernambucana de 1817 e da Confederação do Equador, de 1824; Brígida de Alencar, protetora dos índios cariris  e das populações indígenas  de Exu e redondezas; senador José Martiniano de Alencar,  presidente do Ceará;  José Martiniano de Alencar (mais conhecido como José de Alencar), jornalista, advogado e escritor, autor de  “O Guarani”, “Lucíola” e outros romances famosos; Leonel Martiniano de Alencar, aristocrata do Império e  importante  diplomacia brasileiro. Igualmente célebres  são Marcelo Nunes de Alencar (prefeito do Rio de Janeiro e governador do estado); Miguel Arraes de Alencar (prefeito de Recife e governador de Pernambuco), Humberto de Alencar Castelo Branco (presidente do Brasil), Eduardo Campos (governador de Pernambuco e candidato a presidência da  República) e Rachel de Queiroz (professora primária, autora  de “Os Quinze”, “João Miguel”, “Caminho de Pedras”, “Dora, Doralina” e outros livros famosos). A bisavó de Rachel de Queiroz era prima, pelo lado materno, de José de Alencar.
O patriarca da família  Alencar em Sergipe  é o poeta, advogado provisionado e jornalista Clodoaldo de Alencar, nascido em Orós (Ceará) que  chegou pelas mãos de Gracho Cardoso, em 1922. Estabeleceu-se em Estância, onde contraiu matrimônio com Eurydice, filha do médico Jessé Fontes. O casal, além de Iracema e José Geraldo (precocemente falecidos), e Jessé-Claudio (renomado advogado residente no Rio de Janeiro), o casal teve os seguintes filhos

1-CLODOALDO DE ALENCAR FILHO
Poeta, jornalista, teatrólogo e professor universitário, nascido em Estância no dia 27 de setembro de 1912. Graduado em Letras=pela Universidade Federal de Sergipe, membro titular da Academia Sergipana de Letras e Reitor da UFS. Em seu reitorado criou os cursos de bacharelado em Informática, Engenharia Agronômica, Psicologia, Ciências Sociais, Comunicação Social, Jornalismo, Artes e Educação.. Ampliou o acervo bibliográfico, criou o Núcleo de Assuntos Internacionais e promoveu a transferência do Hospital de Cirurgia para o Hospital Universitário.
 2-LUIZ CARLOS FONTES DE ALENCAR
Nascido em Estância, em 31 de dezembro de 1933, formado em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco (1958), doutor pela mesma universidade (1969-1960). professor adjunto da Universidade Federal de Sergipe e vice-reitor (1977-1979), professor de Processo Penal da Universidade de Brasília (1990-1995), membro da Academia Sergipana de Letras. do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe e professor honoris causa da Universidade de Cruz Alta..
Juiz de direito da comarca de Tobias Barreto (1961), Maruim 919680, Itabaianinha (1969) e Aracaju (1979), membro do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (1972 a 1976), desembargador (1979), corregedor geral (1981-1982), presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe (1985-1087), ministro do Superior Tribunal de Justiça (1989), professor adjunto da Universidade Federal de Sergipe e  vice-reitor (1977-1979), professor honoris causa da Universidade de Cruz Alta.
A Justiça Eleitoral inaugurou em Estância, um Fórum  batizado com o nome do Ministro Luiz Carlos Fontes de Alencar.
 3-LEONARDO ALENCAR
Nascido em Estância, no dia 7 de abril de 1940. Desde a infância demonstrou grande interesse pelas artes plásticas. Dedicou-se à pintura, sob a influência de J. Inácio, Álvaro dos Santos. Florisval dos Santos e  Jordão de Oliveira. Fez sua primeira exposição, em 1960, no Belvedere da Sé, em Salvador.. Em 1961, realizou sua segunda exposição, na Escola Nacional de Belas-Artes (Rio de Janeiro), oportunidade em que foi agraciado com uma bolsa de estudo para o curso livre de gravura da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia. Em 1963, matriculou-se nos cursos de teatro e cenografia da Escola de Teatro da UFBa e no ano seguinte foi contratado como professor de ambos os cursos. Em 1970, estagiou com o colecionador alemão  Errst August Teves. Viajou  por vários países da Europa, realizando exposições ao lado de artistas europeus. Nos anos de 1970 e 1071, residiu em Londres, onde se destacou como desenhista de periódicos. Em 1974, regressou para o Brasil, passando a morar em  Salvador. até 1980, quando se mudou para Aracaju, onde passou a viver, fez exposições e ensinou pintura e desenhol Em  1991, ilustrou a capa do livro “O Homem de Branco”, de autoria de Adonias Filho (editado na Inglaterra com o nome “The Man in White”).
É membro  do Metropolitan Museum de Nova York, do Museu de Arte do Rio Grande do Sul, do Museu de Gravura Brasileira (Bagé, Rio Grande do Sul), da Confraria dos Bibliógrafos do Brasil, do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe.
.4-HUNALD FONTES DE ALENCAR
Nascido em Estância, em 10 de novembro de 1942. Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, professor de Lingua Portuguesa e Literatura Brasileira, letrista e compositor de música popular, premiado em vários festivais, jornalista, poeta e teatrólogo Membro da Academia Sergipana de Letras e autor de várias obras. tais como “Verdes Silêncio da Semana”, “Poemas de Kandor”, “Uma Vez em Dolduvai”, “Elogio dos Peixes Ágeis”, “A Solidão das Palavras”, “Ária Suspensa”, “A Vassalagem das Pedras”.(Prêmio Santo Souza, da Prefeitura Municipal de Aracaju) e “Quatro Monólogos Trágicos”.

FONTES BIBLIOGRÁFICAS
1-Alencar Leão. Ruth de – A Família Alencar e a Casa da Torre. Disponível em https://www.google.com.br/?gws_rd=ssl#q=ruth+de+alencar+le%C3%A3o%2Bfamilia+alencar4. Acesso em 25 de maio de 2015.
2-Alencar Moreira, José Roberto de – Vida e Bravura. Disponível em https://books.google.com.br/books/about/Vida_e_bravura.html?hl=pt-BR&id=6KchGQAACAAJ. Acesso em 26 de maio de 2015
3-,Maynard, Armando = Extase, do poeta Claudio de Alencar. Disponível emhttp://grupominhaterraesergipe.blogspot.com.br/2013/01/extase-do-poeta-clodoaldo-de-alencar.html. Acesso em 28 de maio de 2015
4-Sá Almeida, Dijalma- Família Alencar. Disponível em http://www.webartigos.com/artigos/familia-alencar/38000/. Acesso em 26 de maio de 2015.
CASA DE LEONEL DE ALENCAR REGO, NA FAZENDACAIÇARA, EM EXU (PERNAMBUCO)








Nenhum comentário:

Postar um comentário