sexta-feira, 28 de novembro de 2014

01- TOBIAS BARRETO

 
 
TOBIAS  BARRETO
ssl#q=TOBIAS+Barreto
 
 
 
Tobias Barreto de Menezes, filósofo, poeta, crítico e jurista brasileiro, nasceu na vila de Campos do Rio Real (hoje Tobias Barreto), em 7 de junho de 1939, sendo seu pai Pedro Barreto de Menezes.
 
Estudou as primeiras letras com o professor Manuel Joaquim de Oliveira Campos, e latim com o padre Domingos Quirino. Dedicou-se com tal entusiasmo aos estudos que, em pouco tempo, passou a dar aulas particulares em Itabaiana. Em 1863, foi para a capital baiana com o intuito de freqüentar o seminário mas não prestou os exames e retornou à cidade natal. Dalí partiu com destino a Pernambuco, onde, para sobreviver, deu aulas particulares de diversas matérias e prestou concurso para a cadeira de Latim, no Ginásio Pernambucano. Aprovado, não conseguiu nomeação. Prestou novo concurso, agora para a cadeira de Filosofia, no mesmo estabelecimento. Mais uma vez aprovado, em primeiro lugar, foi preterido.
 
Dedicou-se ao estudo de alemão, à leitura dos evolucionistas estrangeiros, notadamente Ernest Haeckel, e à poesia. Como poeta competiu com Antônio de Castro Alves, a quem superou, por ter maior cultura. Tornou-se um orador capaz de debater qualquer assunto. Estudou Filosofia e publicou “Thomás Aq”Deuino”, “Teologia e Teodicéia não são Ciências”, “Jules Simon” e outroas trabalho de igual valor. Casou-se com a filha de um coronel do interior, proprietário de um engenho de açúcar em Escada, ingressou na Faculdade de Direito do Recife e foi eleito para a Assembléia Provincial. Como político, pouco prosperou
 
Aprofundou seus conhecimentos de alemão e leu no original os grandes ensaístas germânicos, especialmente Haeckel e Buechner. A obra “Deutscher Kampfer”, originou “Estudos Alemães”, importante trabalho de difusão de suas idéias germanófilas. Este trabalho foi duramente criticado, por tratar-se, segundos alguns, de simples paráfrase de autores alemães.
 
Viveu na cidade de Escada durante cerca de dez anos. Durante este período escreveu “Fundamentos do Direito de Punir”, fundou o periódico “Deutscher Kampfer” (em português, “Lutador Alemão”) e criou as bases do movimento intelectual que deflagrou no país. Este movimento teve por teatro o monismo e o evolucionismo europeu e pretendeu derrubar a influência francesa no Brasil. Depois, voltou para o Recife.
 
Pobre e doente, ficou confinado em sua residência. Pensou em ir à Europa para recuperar a saúde mas, não conseguindo recurso financeiro, abandotonou o intento. Os amigos, através de subscrição pública, tentaram levantar recursos, mas não conseguiram.
 
Pouco antes de morrer, escreveu a Sílvio Romero solicitando auxílio. Faleceu no Recife em 27 de junho de 1889.
 
Tobias Barreto é o fundador do condoreirismo na poesia brasileira e é patrono da cadeira 38 da Academia Brasileira de Letras.
 
De sua bibliografia constam as seguinte obras:
 
  1. PROSA:
 
  • Ensaios e estudos de Filosofia e crítica (1875)
  • Brasilien, wie es ist (1876) Ensaio de pré-história da literatura alemã,
  • Filosofia e crítica, Estudos Alemães (1879)
  • Dias e Noites (1881)
  • Menores e loucos (1884)
  • Discursos (1887)
  • Polêmicas (1901)
    2  POESIA:
 
  • Que Mimo (1864)
  • O Gênio da Humanidade (1866)
  • A Esravidão (1866)
  • Amar (1868)

Nenhum comentário:

Postar um comentário